22/08/2019 | Saúde

Esclarecimentos da Secretaria Municipal de Saúde sobre a vacinação contra sarampo

A respeito da determinação do Ministério da Saúde para que todas as crianças entre 06 meses a 1 ano de idade sejam vacinadas contra o sarampo, a Secretaria Municipal de Saúde de Bauru informa que está adotando todas as medidas necessárias em relação aos casos da doença confirmados na cidade. Até o momento, de todos os casos suspeitos, apenas quatro foram confirmados.
Diariamente, a Secretaria Municipal de Saúde realiza ações de bloqueio (vacinação de todos os contactantes de pessoas contaminadas ou suspeitas) que, por recomendações da Organização Pan-Americana da Saúde, Ministério da Saúde e Secretaria de Estado de Saúde, é a medida mais eficaz para a quebra da cadeia de transmissão da doença, quando identificados um caso suspeito e seus contatos diretos.
No município de Bauru, a faixa etária com maior número de casos suspeitos é de 15 a 29 anos. O Ministério da Saúde autorizou a partir da data de hoje (22) a administração da vacina contra o sarampo em todas as crianças na faixa etária entre 06 meses e menores de 1ano (12 meses). Bauru foi incluída na lista de municípios prioritários para a vacinação das crianças nesta faixa etária, no entanto, a ação ainda não foi iniciada porque até o momento a cidade não recebeu formalmente nenhuma orientação técnica da Secretaria de Estado da Saúde para iniciar a vacinação deste grupo.
De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, o motivo principal dessa espera é que a pasta ainda não recebeu a grade de vacinas para este grupo de 6 meses a menores de 01 ano. Portanto, não há como o município iniciar a vacinação, sob o risco de comprometer as vacinações de bloqueio.
Vale ressaltar que no SUS a responsabilidade pela aquisição de vacinas é do Ministério da Saúde e a distribuição para os municípios é feita pela Secretaria Estadual de Saúde. Assim, só será possível iniciar a vacinação quando a Secretaria de Estado enviar as vacinas.
O Secretário Municipal de Saúde de Bauru, Dr. José Eduardo Fogolin, está em contato com o Estado, tentando resolver esta situação. Além disso, o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Estado de São Paulo (Cosems), presidido pelo próprio secretário Fogolin, está solicitando junto ao Estado um posicionamento formal. Ainda hoje será realizada uma reunião em Brasília para tratar do tema Sarampo.