25/08/2021 | Meio Ambiente, Defesa Civil

Estiagem prolongada reforça necessidade da população em não produzir queimadas nas áreas urbana e rural

A Secretaria do Meio Ambiente (Semma) e a Defesa Civil alertam a população sobre os riscos provocados pelas queimadas neste período de estiagem prolongada na região de Bauru. Nos últimos dias, o número de ocorrências tem mobilizado equipes da Semma, Defesa Civil, Departamento de Água e Esgoto (DAE) e ainda o Corpo de Bombeiros.

De acordo com a Defesa Civil de Bauru, o número de focos de incêndio é parecido com o mesmo período do ano passado. No entanto, as geadas que ocorreram nos últimos meses deixaram a vegetação ainda mais seca, facilitando o surgimento de incêndios, muitos provocados diretamente pelas pessoas.

Neste ano, foram 104 focos de incêndio em junho, 202 em julho e 180 em agosto, até esta quarta-feira. O coordenador da Defesa Civil, Marcelo Ryal, pede a colaboração da população. “A quantidade de focos é parecida com o que tivemos durante o mesmo período do ano passado, mas a extensão é bem maior, porque a vegetação está mais seca, em decorrência das geadas. A população tem que colaborar, não colocando fogo em mato ou outros materiais”, lembra.

DANOS AMBIENTAIS
Os incêndios também destroem árvores, que são o habitat de diversas espécies, o que pode levar a um desequilíbrio ecológico com consequências para toda a população. O secretário de Meio Ambiente, Dorival Coral, destaca que a qualidade do ar também é muito prejudicada. “O ar já está seco por causa da estiagem. As queimadas prejudicam ainda mais a qualidade do ar, provocando inúmeros problemas respiratórios nas pessoas. Para o meio ambiente, o prejuízo também é grane, com a destruição de áreas naturais que estavam preservadas e mortes de animais. Como uma parte considerável das queimadas são de ação humana, temos que ter a consciência dos riscos provocados e não colocar fogo em mato, lixo ou qualquer outro material”, afirma.

Outro risco das queimadas é para os próprios trabalhadores que atuam no controle das chamas, que correm o risco de sofrer queimaduras e problemas respiratórios. Portanto, a Prefeitura de Bauru pede que a população colabore, não colocando fogo em nenhum tipo de material ou no lixo. A coleta de lixo orgânico é realizada três vezes por semana em toda a área urbana, enquanto a coleta seletiva é feita uma vez na semana. Os Ecopontos recebem materiais recicláveis e restos de poda, além de móveis e eletrodomésticos velhos, dando a devida destinação a esses produtos, e sem prejudicar o meio ambiente e os moradores.

Defesa Civil, Semma e DAE em incêndio na última semanaDefesa Civil, Semma e DAE em incêndio na última semana