25/11/2021 | Agricultura e Abastecimento

Projeto Cemeia completa dois anos difundindo conhecimento sobre alimento orgânico e reflorestamento

O Centro Municipal de Educação e Identificação de Plantas da Agricultura Urbana (Cemeia) completa dois anos neste sábado, 27 de novembro. Para celebrar a data, servidores das secretarias de Agricultura e Educação, membros das fundações parceiras, a Fundato e a Casa de Passagem do Esquadrão da Vida participam de um café da manhã ao ar livre no local, nesta sexta-feira (26), onde irão trocar experiências entre os programas desenvolvidos nas respectivas entidades. No mesmo dia irão soltar um balão, com o número 02, recheado de sementes de goiaba para estourar nas áreas verdes da região.

O Projeto Cemeia faz parte do Programa Agricultura Urbana e é desenvolvido pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, em parceria com a Secretaria de Educação e tem como proposta principal trazer conhecimento para que as pessoas saibam de onde vem e como é cultivado o alimento que chega ao prato. O projeto é voltado para visitas monitoradas com crianças em fase escolar. Com rodas de conversas e atividades práticas, a ação leva a vivência da agricultura aos pequenos, por meio do cultivo de hortas e plantações.

Segundo o coordenador, Guto Camargo, este ano o Cemeia recebeu muitas visitas individuais e poucos grupos de pessoas, em função da pandemia. “Apesar das restrições de atividades, realizamos dois feirões de doação e trocas de sementes, onde distribuímos quase 6.000 sementes e cerca de 180 mudas”, destacou.

Camargo explicou que atualmente o espaço do Projeto Cemeia conta com um sistema agroflorestal em formação, com plantações de goiaba, mandioca, amora, fruta-do-conde, bananeira, entre outras. E plantas curiosas como o pé de tabaco (para a produção do fumo), a araruta (raiz usada pra fazer farinha) e o Quiabo de Metro. “Uma árvore que chama a atenção é a “Moringa”, muito procurada pelos veganos, por conter alto teor de proteína, capaz até de substituir a carne”, enfatizou.
Outros projetos desenvolvidos no Cemeia são o Jardim Sensorial, com cerca de 70 variedades de plantas e ervas medicinais e aromáticas, a Horta Terapêutica, cultivada pelos acolhidos da Casa de Passagem do Esquadrão da Vida e as Hortas Alternativas, com orientações para plantio de verduras e legumes em apartamentos ou locais com pouco espaço. O Cemeia também está aberto para auxiliar munícipes que queiram cultivar uma horta própria, mas que ainda não sabem por onde começar, que tipo de alimento plantar e como manter a horta.

SERVIÇO:

O Cemeia funciona nas dependências do Almoxarifado Central da Prefeitura, na esquina da quadra 42 da avenida Rodrigues Alves com a rua Hélio Pólice, no Redentor. Visitas de pequenos grupos funcionam das 9h às 15h, de segunda a sexta. Agendamento de grupos escolares ainda está proibido devido à pandemia. O e-mail é cemeia@bauru.sp.gov.br.

Projeto Cemeia completa dois anos difundindo conhecimento sobre alimento orgânico e reflorestamentoProjeto Cemeia completa dois anos difundindo conhecimento sobre alimento orgânico e reflorestamentoProjeto Cemeia completa dois anos difundindo conhecimento sobre alimento orgânico e reflorestamentoProjeto Cemeia completa dois anos difundindo conhecimento sobre alimento orgânico e reflorestamento